sábado, 12 de maio de 2018

A MOTIVAÇÃO NOS IMPELE A SERVIR

Serviço é a própria vida. Uma vez que nós nos abrimos ao serviço como uma possibilidade genuína para nós mesmos, como um estilo de vida, ficamos estupefatos diante do número infinito de pessoas que estão aguardando para serem servidas. Não pensem que é por que elas queiram afirmar sua superioridade sobre você ou por causa do glamour e distinção que lhes trará, mas por que elas realmente precisam ser ajudas. Em um mundo de self-service, há milhões de indivíduos que não podem se servirem. Os verdadeiramente pobres, os doentes, os idosos abandonados e tantas outras são incapazes de se servirem em um “restaurante a quilo da vida cotidiana”. As suas necessidades não são teatrais; são absolutamente reais...
Estamos acostumados em nos desculparmos do desafio do serviço, dizendo que as necessidades são infinitas e que nossa contribuição não mudará nada. Isto é falácia! Cada contribuição, por menor que seja, por mais simples e humilde, cada ato de serviço muda alguma coisa ou alguém e, certamente, muda-o para melhor.
Aquele que serve também se torna real ao servir, com honestidade, sem querer “aparecer”, dizendo aos quatro cantos da Terra tudo o que faz. Não! Aquele que é servidor, ele não o faz para si mesmo, e sim, para Deus.


Como pode a dedicação generosa do seu tempo, de sua energia, de seus talentos, de seus recursos não mudar a vida daqueles pelos quais você se oferece? Aquele que procura salvar um vida, é como se tivesse salvo o mundo todo. Não há nada mais real do que isto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário