domingo, 22 de outubro de 2017

A IMPORTÂNCIA DE "RELIGAR" A VIDA

Ao longo da vida, muitos perdem o contato com seus sonhos por se comprometerem, desde cedo, com as expectativas dos pais ou por absorverem ideias incutidas por outros. Custa muita energia viver à distância de nossa verdadeira imagem, isto é, longe da imagem primordial de Deus, que se reflete em cada um de nós. Falta energia para preencher uma imagem estranha, falta energia e tempo; mas, no final das contas, o que resulta é só cansaço. Então, podemos entender que o cansaço é um alerta para que eu preste atenção à imagem que estou seguindo.

O cansaço também é uma oportunidade para eu sintonizar com minha imagem original e autêntica, aquela que manifesta meu jeito de ser, e eu a descubro revendo o que, durante toda a minha vida, me fascinava, me entusiasmava e motivava a passar horas ocupado com alguma coisa. Tudo que nos tenha motivado é expressão de nossa autêntica natureza.

Nós todos precisamos da capacidade de entusiasmo, para que tenhamos a energia necessária para realizar algo. Percebem quando estamos muito entusiasmados com alguma coisa, ficamos curiosos em aprender mais, em absorver todo o conhecimento daquilo? E não nos cansamos! Adquirimos força ao visualizarmos imagens capazes de nos motivar e nos inspirar. 

Por isso é importante observar cada vez mais as imagens que fazemos de nós mesmos, verificando se elas nos paralisam ou estimulam, se nos proporcionam vitalidade ou cansaço. Dependendo dessas imagens, podemos nos sentir em condições de encarar os desafios da vida, ou não vermos a menos possibilidade de enfrentá-los. Desse modo caímos na passividade, perdemos força e ficamos cansados. Algumas imagens mentais fazem com que as pessoas se abram cada vez mais para novas descobertas e para a busca de oluções junto aos outros.

Em vez de observar somente o cansaço, devemos questionar as imagens pelas quais nos guiamos. Carregamos imagens que nos entravam, ou trazemos conosco imagens que nos incentivam a descobrir o mundo e estimulam nossas capacidades criativas? A resposta é sua!

Nenhum comentário:

Postar um comentário