segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

DEVEMOS NOS HABITUAR ÀS COISAS SIMPLES

Este tema de hoje é muito interessante e quero compartilhar idéias com você, meu caro leitor.

Acredito que as matérias anteriores e vindouras tratam deste tema sob outras perspectivas, mas o cerne da idéia é a mesma: simplicidade, humildade, vida interior, silêncio, riqueza espiritual, mente e corpo sãos, em busca constante pela felicidade e pela paz.

Nosso corpo e nossa mente trabalham a nosso favor, se assim quisermos. Mas para isto, devemos silenciar nosso interior com ruídos inúteis que insistimos em permanecer cultivando mesmo depois de resolvidos... É busca nos momentos simples, como parar um pouco dessa rotina frenética que vivemos e experimentarmos respirar lentamente, soltando aos poucos o ar, ou olhar para um ponto fixo e "esvaziar" a mente de todo e qualquer pensamento, a fim de darmos um "descanso" para as inúmeras conexões neurais, que se continuamente estimuladas ao máximo, acabam por esgotar nosso cérebro e ai advém o cansaço, estafa e estresse.

Você sabe, meu amigo, que é necessário muito pouco para nos manter equilibrados emcionalmente, sadios do ponto de vista alimentar e mental. É importante levarmos um modo de vida não luxuoso, que acaba sendo conveniente para a saúde. Consequentemente, irá nos proporcionar enfrentar as adversidades da vida, bem como predispor o nosso ânimo para melhor enfrentar sem temor as vicissitudes da sorte.

Tudo se transforma em hábito durante nossas vidas. Temos rituais para tudo; assim, devemos cultivar este salutar hábito de controlarmos a nós mesmos, motivando-nos e ajudar aos demais que convivem conosco a experimentarem essa sensação de liberdade interior, de ânimo e felicidade. Contudo, para sermos felizes precisamos ter prudência no falar, no agir e no pensar.

De todas as coisas a prudência e a humildade são o princípio e o bem supremo; deles se originam as demais virtudes, que nos ensinam que não existe vida feliz sem prudência,  beleza e justiça, sendo exatamente estas que nos levam à felicidade.

Assim, peço que tente praticar esses "exercícios" de bem viver por toda a sua existência, desde a juventude até a idade mais avançada. Ao convivermos com as coisas mais simples, voltamos à essência de nosso ser, amadurecemos e nos tornamos pessoas capazes de criar, de inovar, de motivar e de caminhar seguros e confiantes rumo ao sucesso!

Nenhum comentário:

Postar um comentário