segunda-feira, 7 de março de 2016

TODOS NÓS TEMOS OS RECURSOS QUE PRECISAMOS!

Nós ansiamos em nossas vidas por alguma coisa que nos dê força, clareza e frescor. A fonte interior é a responsável pela fluidez, pela leveza da vida. Essa fonte nos alegra e motiva a sairmos de nós mesmos e ir ao encontro do outro, seja no trabalho (em casa para os filhos e pais ou fora dela), seja para os amigos.

Essa fonte interior – aquela bem profunda, no íntimo de nós – nos motiva e nos faz ser pessoas melhores, a partir do momento em que largamos de mão o egoismo, as preocupações exageradas, a mesquinhez, a competição estéril, o medo, a vergonha, e entranharmos na leveza, no verdadeiro sentido do que realmente é essencial em nossas vidas. Redescobrir a fonte requer humildade.

Humildade é fazer as tarefas com concentração, tendo consciência das limitações, porém sem deixar que elas (limitações) nos bloqueie e nos impeça de romper barreiras. Humildade significa foco naquilo que faço, sabendo que aprender faz parte constante em nossa vida.

Desde o nascimento, já trazemos a fonte em nós. Ela é inesgotável; tem a constante presença do Divino; é límpida, transparente e abundante. Precisamos nos reabastecer, indo em direção à ela (fonte). Como? Silenciando-nos.

O silêncio é benéfico, nos faz refletir e descobrir arestas que devem ser aparadas. Todos precisamos de um pouco de silêncio. Não precisa ir para um monte, um campo, uma praia. É preciso nos aquietar no lugar onde nos encontramos, no momento em que pudermos parar um pouco. Deixar o silêncio tomar conta de todo o corpo e mente. Acalmar a mente não é fácil; requer humildade e treino diário.

Agora, amigo (a), aproveite esse momento e pare um pouco. Sinta o “barulho” do silêncio em você. Esvazie sua mente; sinta todos os músculos calmos; sinta o corpo relaxado e feche os olhos (se quiser). Com o passar dos minutos nesta posição, abra os olhos. Você verá até um leve sorriso no rosto!

Experimente. Motive-se. Temos todos os recursos disponíveis dentro de nós, a qualquer hora e lugar. Em nós! Até sempre.

Nenhum comentário:

Postar um comentário